quarta-feira, 4 de maio de 2011

Rio - Brasília de carro

Desde que as passagens de avião passaram a ficar entre R$ 120 e R$ 160, até o deslocamento Rio - Brasília por ônibus leito ficou prejudicado (tempo de viagem, custos com refeições, etc). Ir de carro sozinho, nem pensar. Só de combustível para os 1200 km são cerca de R$ 300, fora alimentação, hospedagem (a não ser que se encare 16h direto), etc. Além disto, das últimas vezes que fiz o percurso (2005 e 2008) a rodovia BR-040 tinha trechos péssimos e perigosos.

Apesar de tudo isto, tive que levar um carro do Rio para Brasília, e todas as considerações anteriores caem por terra. Projetei a viagem para dois dias: no primeiro, chegaria a Três Marias (MG) antes do anoitecer, percorrendo 750 km. No segundo, os restantes 450 km até Brasília. Dia de sol, muito claro. No primeiro trecho, algum trânsito por conta do fluxo de cariocas indo para a serra de Petrópolis e Itaipava. E pedágios também: 3 x R$ 7,70 até Juiz de Fora.

É o trecho de menor velocidade média, por ter aclives e declives e pista extremamente sinuosa. A sensação é de que a viagem não rende nas duas primeiras horas. E piora ao chegar à divisa RJ/MG, ao ver numa placa que o Km zero em Minas equivale ao 887 de quem vem pela BR-040 da divisa de Goiás...

Passando de Juiz de Fora, até chegar a Itabirito, a qualidade da pista cai muito: não tem mais separação central, apesar de ter duas pistas para cada lado, apertadas, e o piso fica mais irregular porque tem o tráfego de caminhões das mineradoras. Passado isso, a pista dupla é retomada até BH, onde se deve ter muita atenção no tal Anel Rodoviário, porque a sinalização é precária para quem tem como destino Brasília. Aí já estamos no km 450 da viagem, e coincide com o horário de almoço para quem saiu por volta de 8h da manhã. Noutra vez, parei para comer uma comidinha mineira, sempre pesadinha, e bateu um sono horrível. Resolvemos pular essa etapa e comer sanduíches no carro mesmo.

Aí veio o imponderável: os jogos do campeonato mineiro não estão sendo realizados no Mineirão, que está em reforma, sendo deslocados para a Arena do Jacaré em Sete Lagoas, justo no rumo de Brasília. São 55 km de tráfego de torcida, no caso, do Atlético, que foi jogar por lá no sábado. Pista boa, duplicada, asfalto impecável. De Sete Lagoas até o Trevão, onde há um cruzamento com a estrada para Montes Claros, depois de Paraopebas, a pista continua nas mesmas condições, e essa foi a boa notícia: das vezes anteriores a pista duplicada acabava em Sete Lagoas. Isso fez a viagem andar mais rápido que a previsão. A partir daí, até a fronteira com Goiás, o asfalto está liso, e a pista tem mão-dupla, com duplicações na faixa de subida em alguns lugares.

Passando de Sete Lagoas, o cenário muda, com a chegada ao cerrado. Também muda a topografia, com um relevo mais adequado a traçados mais rápidos para a estrada e consequente maior velocidade de tráfego. A partir daí a viagem rende muito mais.

Chegamos a Três Marias a tempo de apreciar o pôr-do-sol na barragem da hidrelétrica, no bairro da Cemig, e ficamos hospedados por lá num hotel reformado, com preços honestos e bom atendimento. À noite, no restaurante anexo, rolou um show de violão e MPB variada.

Passeamos na cidade e depois do almoço seguimos para Brasília, chegando ás 18h. Mesmo sendo domingo, o tráfego de caminhões é intenso e as velocidades dos veículos de passeio são elevadas, porque a pista no trecho goiano, mesmo inferior em qualidade ao mineiro, tem mais retas e curvas mais longas. A velocidade cai muito na chegada ao Distrito Federal, em Valparaíso (GO), e daí para a frente tem trânsito.

Em vários trechos a velocidade permitida é de 110km/h. Praticamente todos os radares estão desativados. Um dos poucos que vimos em atividade foi num trevo do Anel Viário de BH, móvel. Outros, daqueles que ocupam a pista toda, estavam funcionando mas pareciam não ter efeito.
Em algumas cidades há malditos quebra-molas sem qualquer aviso, camuflados na pista, rendendo boas porradas na suspensão do carro. Isso é mais frequente no trecho entre Três Marias e a fronteira de Goiás.

O preço da gasolina varia muito. O melhor que conseguimos foi no Trevão, depois de Paraopebas, a R$ 2,84/l num posto BR. Havia postos cobrando até R$ 3,20/l.

Para quem vai a turismo, com mais tempo, há outras opções. No trecho Rio-Brasília, pode-se parar nas cidades históricas, que ficam a cerca de 300 km do Rio (Ouro Preto, Mariana, Congonhas), passando por lá umas duas ou três noites (sugestão: uma ou duas em Ouro Preto, outra em Congonhas). No dia de ir embora, saindo cedo dá para rodar BH sem dormir por lá, visitando a Pampulha e o parque do centro, em especial, indo dormir mais adiante. Certa vez ficamos numa boa pousada perto de Paraopebas, que usamos como ponto de partida para conhecer as grutas de Maquiné, em Cordisburgo, passeio para uma manhã inteira (ida e volta).

Três Marias é uma boa opção para pernoite e mesmo para passar o dia, comendo bom peixe, fazendo passeio de barco na represa, etc. Daí para a frente não conhecemos ainda nada de interessante. Há coisas históricas em Paracatu, mas nunca fomos por lá. Deve-se abastecer até esta cidade, porque depois vem um vazio demográfico onde só tem soja até Cristalina (GO). Nesta cidade há diversas lojas onde se vende cristais (boa parte vem do nordeste brasileiro), o que é interessante, embora os preços não sejam tão razoáveis quanto na região de Alto Paraíso (GO), que fica fora dessa rota.

No sentido Brasília / Rio fica mais complicado fazer esse passeio com BH no meio. Aí é o caso de pernoitar por lá. Outra opção de pernoite, para dividir em duas a viagem, é ficar em Santos Dumont ou em Barbacena, ficando a menos de 300 km do Rio. De qualquer forma, avião é a melhor opção em termos de segurança, cansaço e preço, mesmo com 4 pessoas dentro do carro, em caso de fazer em dois dias.

A reflexão que faço é: como a antiga e a nova capital, depois de 50 anos, têm uma ligação rodoviária sem duplicação completa? Para quem vai de São Paulo, os caminhos são melhores por estradas, apesar dos caríssimos pedágios. De São Paulo foi desativada a ligação por trem, que era feita pela Mogiana, e que hoje poderia permitir, quem sabe, a implantação do trem-bala passando por Goiânia, uma proposta que vez por outra os políticos de Brasilía fazem para criar a esperança do brasiliense morar mais barato, viajando entre as duas cidades com muita rapidez.

19 comentários:

  1. Saindo de Bsb, vou parar em Sete Lagoas, nao parece mais prático (600 km no 1o dia + 550 no segundo)?

    ResponderExcluir
  2. Viviane,
    Dependendo do planejamento, pode ser uma boa. Prefiro sair de Brasília cedo e cruzar logo BH por volta das 4 da tarde, e depois avalio se dá para ir direto ou se fico em alguma cidade por ali (Barbacena, etc) e sigo no dia seguinte, ou se sigo direto chegando à noite, já que dali prá frente a estrada volta a ser duplicada e tem razoável segurança para andar à noite. Sete Lagoas pode ser a metade do caminho, mas para quem vem de Brasília não é a metade do tempo, pois o trecho permite velocidades maiores e tem menos tráfego que entre BH e Rio.

    ResponderExcluir
  3. Pretendo ir de Moto numa Honda CBX Twister 250cc saindo daqui do Rio de Janeiro para Brasíia DF.Eu já procurei me informar, e sei que a distância do trajeto é de + ou - 1163 Quilômetros Será que o tempo de percuso seria o mesmo do que de carro + ou - 2 dias? Já que seria a minha primeira viagem Inter-Estadual. Se tem alguém que já fez essa viagem de moto, por favor comente como foi o percurso? E quanto tempo levou? Obrigado pela a atenção:
    Leonardo.

    ResponderExcluir
  4. Léo, já tive uma XLX 250 e posso te dar uma idéia da viagem. De moto a gente até aguenta bem uns 500 km, se estiver sozinho. Com garupa, é mais tenso. Na estrada, nessa viagem de carro, encontrei um grupo de motociclistas em motos bem potentes, que viajava do Rio a Brasília em ritmo lento, de caravana, curtindo os lugares, tipo parando bastante. É viagem para 2 a 3 dias, digo isso pelo meu ritmo. Saindo do Rio, fugindo do sufoco da Av. Brasil e da Rio-Petrópolis na baixada, a serra já é mais tranquila, e o ritmo é bom até passar de Juiz de Fora, quando a coisa fica tensa (muitos caminhões pesados, estrada com buracos, trechos de mão dupla) até perto da entrada de Ouro Preto, e daí com tráfego muito intenso, veloz e perigoso até passar do anel viário de BH e sair da cidade rumo a Sete Lagoas. Daí prá frente a coisa alivia, com tráfego menos intenso até o fim da estrada duplicada. Mantenha o tanque cheio onde puder abastecer, porque o último trecho, de Paracatu adiante, praticamente não tem posto de gasolina. Manutenção, nem pensar. Acho que chegar a Três Marias no primeiro dia é uma boa meta. No segundo dia, fica mais tranquilo, até chegar ao entorno de Brasília, onde o tráfego é horroroso e exige muita atenção. Já na cidade o trânsito é melhor que o do Rio.

    ResponderExcluir
  5. quantas horas eu levaria para ir do rio a Brasília de onibus?

    ResponderExcluir
  6. Bom dia,
    Em setembro devo ir conhecer o Rio de janeiro, qual o melhor
    trajeto.
    Como faço para chegar a Copacabana ou Ipanema?
    Desde já agradeço

    ResponderExcluir
  7. Me diga uma coisa Branquinho, o Rio é aquele perigo total como
    dissem na rede globo.
    Em Copacabana tem hotéis com preço bacana.
    Obrigado

    ResponderExcluir
  8. Supondo que esteja chegando ao Rio a partir de Brasília, pela BR-040 (Rodovia Washington Luiz), ao chegar a Duque de Caxias (onde tem uma refinaria, do lado esquerdo - REDUC) fique atento, porque terá que pegar a Linha Vermelha logo em seguida. Mantenha-se à direita e preste muita atenção porque eu mesmo já errei ali, pois a sinalização é muito em cima e o tráfego é intenso. Estando na Linha Vermelha é simples: basta não pegar nenhuma descida, seguir sempre as indicações de Zona Sul e chegará, sempre por vias elevadas, ao Túnel Rebouças, desembocando na Lagoa Rodrigo de Freitas, onde na saída do túnel pegará á esquerda, contornará a Lagoa no sentido horário e entrará nas indicações Copacabana ou Corte do Cantagalo. Estará em Copacabana, e aí é só levar o mapa do lugar e achar. Difícil será estacionar, a não ser que o hotel já tenha vagas. Estando em Copacabana, siga a praia pela pista do lado dos prédios e encontrará indicações para chegar a Ipanema, que fica ao lado. Quanto à segurança, tranquilidade em geral. O que é proibido é dar bobeira como deixar coisas expostas dentro do carro, ostentar jóias, câmeras, tablets, aceitar certos tipos de ajuda que malandros (as) oferecem aos turistas, essas coisas básicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado,
      Valeu pelas informações.
      Um forte abraço

      Excluir
  9. Boa noite meu amigo!!! Vou viajar do Rio de janeiro x Brasília gostaria de saber se vc sabe se tem posto de gás no caminho e em quantas horas eu consigo chegar em brasilia só parando para abastecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André, gás é complicado. Acho que ao sair do Estado do Rio já não tem mais. Pode ser que em BH tenha. Em Brasília até um tempo atrás não tinha, acho que agora já tem, mesmo assim, não deve ser encontrado com a facilidade daqui do Rio.

      Eu já fiz o trecho em 14 horas, só parando para abastecer, quando a estrada era pior do que está hoje. Saindo às 6 da manhã, se não chover, dá para passar por BH por volta do meio-dia (é o trecho menor). Chega a Brasília às 8 da noite, o que não é uma coisa muito boa, porque vai pegar 3 horas de estradas em Goiás onde não há postos ou qualquer ponto de apoio. Recomendo andar o que puder de dia e pernoitar na entrada da gruta de Maquiné, em Três Marias ou João Pinheiro, e continuar no dia seguinte chegando lá na hora do almoço.

      Excluir
  10. Pretendo ir de Bsb até a chapada em alto paraíso de carro. Não conheço nada da região, se alguém tem algum comentário que possa me ajudar, como por exemplo estado das rodovias e duração da viagem ficaria muito agradecida.

    ResponderExcluir
  11. olá!
    pretendo ir de BSB para o rio, mas saindo por volta das 17hs de BSB.
    vamos em 4 pessoas. Gostaria de parar para dormir só depois de BH, para tentar chegar no rio no fim da manhã.
    é tranquilo assim? qual p melhor lugar para parar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou fazer exatamente essa viagem na próxima semana. No trecho goiano, a partir de Luziânia, os 157 km até a divisa com Minas merecem atenção por causa de sinalização deficiente. Segundo o DNIT, o problemão mesmo é no entorno de BH. Do km 471 (contados a partir da divisa com Goiás) em frente o tráfego é intenso por 90km. Depois, até a entrada de Barbacena (mais 36 km) há buracos e obras, o que pode ser pior com chuva.
      Saindo ás 17h, com os cuidados devidos, sem chuva e trânsito normal, vocês deverão completar a travessia por BH por volta de 2 da manhã, chegando a Barbacena para dormir por volta das 3:30h. Mesmo que já reservem hotel, tenham GPS para chegar lá e coisa e tal, dormindo às 4:30h. Não sei a que hora pretendem chegar, mas dali até o Rio dá mais umas 3h se não pegarem os engarrafamentos que agora são comuns na chegada à cidade, começando na Baixada. Fica complicado parar para dormir. Se houver revezamento e tiver algum motorista que realmente tenha condições de dirigir o trecho final em segurança, seria melhor, desde que chegassem à cidade antes das 6h, pois depois disso vem o movimento normal do trânsito e tudo se complica.
      Se dormirem em 3 Marias num hotel bom que tem na beira do lago vocês chegam lá por volta das 10 da noite. Se esticarem mais, chegam a Caetanópolis ou Paraopebas por volta das 2 da manhã. Tem um hotel na entrada para Maquiné que é bom. Tem uns chalés também em Caetanópolis, simples, devem ser até mais baratos. São 650 km de Brasília, mais da metade do caminho, em cima de Sete Lagoas e BH, e a partir desse ponto a estrada é duplicada, mas o tráfego é mais intenso. Saindo do hotel umas 9 da manhã chegam ao Rio às 15h aproximadamente, se tudo estiver normal.
      Boa viagem!

      Excluir
  12. Eu Viajo 3 ou 4 vezes no ano saindo do RIO para Brasilia,Sempre saio as 3hrs da manha e chego em Brasilia entre 17hr e 16hr,isso parando para tomar cafe da manhan,Almoçar e lancha ,sempre indo pela Br 040

    ResponderExcluir
  13. Boa Tarde,

    Estou planejando essa viagem Brasília/Rio de Janeiro e gostaria de algumas dicas. Será a primeira vez que vou de carro devido ao alto preço das passagens de avião. Lendo o comentário do Joylton mudei um pouco meus planos. Já vi que vou ter que sair um pouco mais cedo que o planejado, pois não gostaria de chegar no Rio de Janeiro durante a noite ou aconselham a dormir na estrada ?

    ResponderExcluir