quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

A mentirosa comparação energia x combustíveis

Hoje circula pelo Facebook uma grande quantidade de fotos da presidente Dilma Roussef e mensagens dizendo que a mão que reduziu a energia é a mesma que aumentou os combustíveis, uma comparação que tenta desqualificar a recente redução nas tarifas elétricas.

Em primeiro lugar, a redução da energia não teve contrapartida em nenhum imposto novo. Foi redução também da carga tributária, ao devolver ao povo e às empresas parte do que iria para o governo a partir dos impostos. Isso a mídia não fala para não prejudicar o seu discurso contra os impostos, para os ricos, claro.

Segundo: estranhamente não se vê no Facebook nenhuma gracinha contra os governadores tucanos de São Paulo, Minas e Paraná, que boicotaram o plano de redução de tarifas fazendo a CESP, CEMIG e COPEL ficarem de fora. Mesmo assim Dilma garantiu que as populações desses estados não seriam prejudicadas pela sacanagem dos seus governadores.

Terceiro: 98% dos lares no Brasil têm energia elétrica, sendo a redução de tarifas benéfica a todos. O reajuste no preço dos combustíveis, o primeiro depois de 5 anos, foi de 6%, mais ou menos a inflação de um ano. Se fosse para recompor a inflação do período, precisaria ser de mais de 25%. Com isso o preço real dos combustíveis, mesmo com tal reajuste, baixou diante da inflação do período. Especuladores estão chorando porque apostaram em aumento maior, e agora fazem campanha até contra  a Petrobrás.

Quarto: apenas 25% dos brasileiros têm algum tipo de veículo que consome combustíveis, logo o público beneficiário do reajuste de energia é muito maior que alguns que terão que pagar um pouco mais pela gasolina. E as indústrias absorverão facilmente o aumento dos combustíveis em suas composições de custos porque na energia elétrica o corte foi bem maior.

 A direita ainda se faz valer do seu poder de mídia para enganar o povo, em especial a classe média, que ouve o galo cantar e não sabe onde, replicando todo tipo de mentira e preconceito que essa turma inventa. 

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

FANOAPÁ 023 - Sandra Cavalcanti não reconhece os índios

Chegou ao meu e-mail mais esse exemplar de, no mínimo, Falta de Noção que Assola o País, porque o texto traz afirmações que justificam o preâmbulo da autora "falem o que quiserem de mim". Que a direita odeia os excluídos em geral não é novidade, mas que se escreva um verdadeiro tratado de falta de noção, dizendo que os colonizadores brancos muito fizeram pelos indígenas, que eles nunca foram povos, que não têm direito a nada no Brasil, é outra coisa.

Sandra Cavalcanti, que foi deputada pelo Rio de Janeiro e secretária do governo do igualmente direitista Carlos Lacerda, fez o texto "O BRASIL NUNCA PERTENCEU AOS ÍNDIOS" por volta de 2008 e agora, sabe-se lá para atender a qual interesse, esse material voltou a circular e está presente nos sites e blogs da extrema-direita. Os mesmos da paranóia dita nacionalista, que defende que as áreas indígenas sejam ocupadas por arrozeiros, grileiros, contrabandistas de minérios, etc, mas que os índios fazem parte de uma tramóia de ONGs para criar territórios independentes do Brasil.

Segue um trecho do libelo anti-indígena, mostrando falta de noção até da história do Brasil:
"...Um grupo de brancos teve a audácia de atravessar os mares e se instalar por aqui. Teve e audácia de acreditar que irradiava a fé cristã. Teve a audácia de querer ensinar a plantar e a colher. Teve a audácia de ensinar que não se deve fazer churrasco dos seus semelhantes. Teve a audácia de garantir a vida de aleijados e idosos.
Teve a audácia de ensinar a cantar e a escrever.
Teve a audácia de pregar a paz e a bondade. Teve a audácia de evangelizar..."

Não é emocionante saber que tudo foi feito pelos colonizadores para melhorar a vida dos povos que aqui habitavam? Os índios foram tão gratos que entregaram aos colonizadores terras, riquezas, ofereceram-se para fazer trabalhos escravos, e acabaram sendo dizimados porque não sabiam que as balas que saíam das espingardas dos brancos poderiam fazer-lhes mal. Atenção povos indígenas: nunca aceitem um convite dessa senhora para tomar banho no Rio da Guarda! Apesar dela querer-lhes o bem, vocês podem se afogar.


terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Boate Kiss : Quantos culpados?

Hoje vi na TV alguns depoimentos de vítimas do incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria, além da entrevista coletiva de autoridades da Polícia Civil e Ministério Público. Também mostraram uma planta da boate e informações sobre problemas com as instalações que transformaram a boate numa câmara de gás.

Num depoimento um ex-funcionário falava que a boate não tinha exaustão eficaz. Creio que dificilmente onde não há fiscalização de muita coisa, em especial da lotação, muito menos haverá da qualidade do ar, levando junto a proibição de fumar em lugares fechados. O ar já devia estar viciado, e se havia exaustão, não realizava as trocas de ar previstas em norma, mesmo com o sistema de ar condicionado projetado para atender a uma carga de muito menos pessoas que lá estavam.

Considerando-se que o proprietário colocou extintores mais baratos, que não funcionaram, e que o vocalista usou fogos de artifício feitos para uso em lugares abertos para não pagar muito mais pelos específicos de lugar mais caro, pode-se inferir que não havia boa exaustão para não gastar muita energia com o ar condicionado. Caso houvesse, boa parte da fumaça tóxica teria sido expulsa do ambiente.

Outro dado importante é que a boate foi intimada pelo Ministério Público a fazer uma reforma para corrigir a poluição sonora. O projeto de adaptação previa o uso de isolantes inertes, um sanduíche de gesso com recheio de lã de vidro, o que seria incombustível e possivelmente foi o que o Corpo de Bombeiros viu na inspeção há quase um ano. Depois botaram mais um isolante, de espuma que expeliu gás tóxico quando pegou fogo, que foi a causa da maioria das mortes.

As luzes parecem ter sido apagadas, e não havia iluminação de emergência nem indicações da saída. Como apenas os banheiros estavam com as luzes acesas, muitas pessoas correram para lá achando que era a saída, e morreram porque ficaram longe demais para retornar sem intoxicação.

Os seguranças fizeram um cordão em frente á porta para impedir a saída das pessoas em pânico, obrigando ao pagamento da comanda de consumo. A boate já havia perdido na justiça uma ação de uma pessoa que foi, na prática, mantida em cárcere privado, porque perdeu a comanda. Também há relato de gente que passou mal e desmaiou, em outra ocasião, e não pôde sair sem que outras pessoas pagassem a sua despesa.

O Corpo de Bombeiros sabia que a casa estava irregular desde agosto do ano passado, mas nada fez para forçar os proprietários a regularizar as pendências. Bastava ameaçar cassar a licença que rapidamente fariam os acertos. Por que isso não aconteceu?

A Prefeitura disse que tudo está regular, e que quem tem competência para fiscalizar riscos de incêndio é o Corpo de Bombeiros. O problema da superlotação da boate, que pelos relatos parecia ser uma constante, nunca mereceu uma fiscalização da prefeitura.

Noutra matéria soube que os proprietários de casas noturnas preferem o sistema de comanda, e não o de ficha no caixa, porque o cliente perde a noção de quanto está gastando e acaba consumindo mais. Quando se compra fichas tem-se a noção de quanto está sendo o gasto. Essa é a origem das arapucas na saída, dos seguranças para fechar portas, dos cárceres privados, das longas filas de espera para sair, etc.

Numa reportagem sobre as instalações de casas noturnas mostrou-se que os proprietários obrigam os arquitetos a fazer projetos com entrada e saída única, mesmo onde há condições de fazer uma solução melhor, para melhorar a fiscalização do pagamento das comandas. Será que há arquitetos ou engenheiros que passem por cima das normas sobre segurança contra incêndio para satisfazer os comerciantes?

No caso da Boate Kiss, além de tudo os percursos eram longos demais, fora de norma, o que conjugado com a falta de orientação de saída em caso de incêndio contribuiu para mais mortes. E a falta de ventilação natural ou de janelas, que pudessem ser abertas ou quebradas para facilitar o escoamento da fumaça?

O fato é que o caso da Boate Kiss virou assunto mundial e nossa colonizada mídia aproveitou para crucificar-nos a todos, como se não houvesse outros casos em países ditos desenvolvidos. Apropriou para nós a pecha de ter instalações inseguras, que o mundo estaria preocupado com a segurança na Copa e na Olimpíada (seria melhor se fosse com a nossa própria segurança), e já buscam formas de trazer desgaste aos de sempre.

Em resumo:  uma tragédia no Brasil nunca tem um só responsável. Há uma conjugação, uma cadeia de irresponsabilidades, que dificultam a atribuição de responsabilidades. O comerciante queria ganhar dinheiro, lotou a casa além do limite e fechou a porta. O vocalista usou fogos de artifício em lugar fechado, de exaustão ruim, cercado de materiais inflamáveis que não deveriam estar lá. O extintor não funcionou. A luz apagou. Ninguém fiscalizou a superlotação nem as instalações. E quem promoveu o evento, não sabia que uma festa para seis cursos da universidade junto com o público habitual não levaria à superlotação? O jogo de empurra já começou.

Para mim, o grande responsável é o proprietário, porque não deveria ter deixado haver o tal show pirotécnico (já havia sido feito antes no mesmo local pela mesma banda), permitiu a superlotação, instalou materiais inflamáveis, bloqueou as saídas e, de alguma forma, burlou as posturas municipais e dos bombeiros, conseguindo que a casa não fosse interditada. Homicídio doloso, porque a consciência das irregularidades aponta para o risco de um grave acidente, desprezado em busca de lucros. A responsabilidade do vocalista seria acessória, mas a punição deve ser exemplar para que noutros lugares do país outros sem-noção não repitam isso. 

domingo, 27 de janeiro de 2013

Energia : Dilma dá tiro no tucanário da direita

O discurso da presidente Dilma Roussef sobre a redução nos cortes de energia atingiu a direita em duas áreas estratégicas, daí o chororô do PSDB querendo impedir novos pronunciamentos em cadeia de rádio e TV. O PSDB estuda entrar com representação contra Dilma porque teria encontrado indícios de campanha política na sua fala à nação. Vide o que eles acham sobre isso aqui: http://www.psdb.org.br/psdb-estuda-entrar-com-representacao-contra-o-governo-por-pronunciamento-da-presidente/

A idéia de calar Dilma por eventual uso político-eleitoral é corroborada pelo Partido da Imprensa Golpista, que faz propaganda política 24 h por dia em todos os meios de comunicação, mas tem a cara-de-pau de fazer no principal jornal do esquema um editorial que é a cara da tese tucana: http://www.psdb.org.br/dilma-erra-ao-explorar-energia-como-tema-politico-editorial-de-o-globo/

Por que todo esse pânico?

Primeiro, porque Dilma furou o bloqueio da mídia e deu o seu recado em cadeia nacional de rádio e TV, uma prática que a mídia brasileira teme porque é usada normalmente em outros países sul-americanos onde os governos são igualmente combatidos pelos meios de comunicação ligados à direita. Com a mídia mentindo e sendo pega em seguida a partir dos fatos a credibilidade está caindo. Ao mesmo tempo esse tipo de prática anti-democrática e partidária faz engrossar o coro dos que querem acabar com o cartel da mídia, a exemplo da Argentina.

Segundo, porque Dilma está conseguindo uma coisa rara, que é ter o controle social sobre os trabalhadores, distribuir renda e prestar assistência aos mais necesstados. E realizar uma agenda histórica do setor produtivo, que passa pelo equilíbrio no câmbio, ampliação do mercado interno, redução drástica nas taxas de juros, redução de encargos nas folhas de pagamento e agora redução de um insumo básico na composição de custos da produção, que é a energia. Dilma pode chegar a 2014 com apoio de trabalhadores e empresários.

O PSDB, a exemplo do quase finado DEM, está se esvaindo, porque já não consegue mais comparar o período de FHC com Lula e Dilma. É perder tempo tentar fazer essa comparação de tanta coisa do período atual com o nada deixado pelos demo-tucanos. Além de deixarem de ser referência para comparação histórica, eles estão vendo sua base social corroída pela máquina federal, que está arrastando o empresariado para o lado do governo Dilma.

Aos demo-tucanos e ao PIG cada vez mais está restando o STF. Até quando?

Boate Kiss : Sucessão de erros acaba em tragédia

Fonte : Site da Boate Kiss - festa de estudantes da UFSM
Toda tragédia como a de Santa Maria (RS), com até aqui mais de 245 mortos na Boate Kiss, é sucedida de análises que mostram erros em cadeia que poderiam evitar muitos óbitos. A causa primeira do desastre foi a falta de noção de alguém que resolveu soltar um sinalizador num ambiente fechado, e que pode ter incendiado a proteção acústica, que deveria ser de material anti-inflamável, e não propagar gases que devem ter sido os responsáveis pela intoxicação que matou a maioria.

Quando as pessoas tiveram a percepção do risco e buscaram sair, encontraram bloqueios na porta de emergência e não encontraram brigada de incêndio para auxiliar no escoamento. Os relatos falam também que houve tentativa dos seguranças para impedir a saída, certamente por ordens de proprietários para evitar a saída sem pagamento de despesas. Além disso há informações de que havia mais gente que a capacidade permitida.

Vidas principalmente de jovens, certamente atingindo o meio universitário e militar (base aérea), ceifadas por falhas humanas em sequência. A segunda maior tragédia em incêndio na história do Brasil, já repercutindo pelo mundo. Uma quantidade de mortos normalmente vista em acidentes aéreos. A presidente Dilma deixou os compromissos no Chile e se dirige ao local para prestar solidariedade.

Na base de tudo está a ganância, que só aparece quando algo dá errado. Todos os dias barcos lotados muito acima da capacidade andam pelos nossos rios, mas só quando um afunda matando muita gente é que há alguma comoção. Prédios têm estruturas deformadas para atender a interesses de valorização todo dia, mas somente quando há uma tragédia como a do Rio há um ano é que todo mundo percebe que há muitos erros fatais já cometidos aguardando novas tragédias.

No caso de boates, há um padrão que torna todas potenciais matadouros. As portas são extremamente restritas, visando a segurança patrimonial, ou seja, que as pessoas entrem por um brete e somente saiam mediante rigorosa verificação de pagamento de despesas. As portas de emergência, exigidas pelo Corpo de Bombeiros, até podem existir, mas certamente terão cadeados para evitar que alguém as abra para permitir a entrada de penetras ou saída sem pagar. Seguranças recebem ordens para não deixar ninguém sair sem pagar as comandas, não importam as consequências.

Agora é a comoção seguida de medidas paliativas até que novas tragédias tragam á tona. A busca de culpados se perde em importância diante do choque da tragédia. E da eventual sobrevivência do imbecil que soltou o rojão, que levará a culpa por toda a sucessão de erros.




sábado, 26 de janeiro de 2013

Radical de classe média

Artigo interessante que não chega a ser um estereótipo, mas vendo a descrição certamente todos irão se lembrar de alguém próximo que pode ser enquadrado como "radical de classe média". Ao nosso ver, que bebe na vertente da direita, forte candidato a votar em demo-tucanos. Ou nulo, pois não há político à sua altura.


Da Carta Potiguar
Daniel Menezes
Há uma figura pitoresca que costuma habitar a classe média tradicional brasileira. Ela pode ser encontrada na universidade, nos protestos políticos, nos shoppings centers, na high society, entre os mais escolarizados, tanto nos movimentos de esquerda, como nos de direita. Na verdade, é uma radicalização da visão específica de uma classe. Vou expor algumas de suas características.
classe_media_sieber_01
Vale lembrar que o modo de vida apontado abaixo é um tipo idealizado do caráter do “Radical Classe Média”, podendo, portanto, uma pessoa comum reunir uma maior ou menor quantidade de tais inclinações, se associar intensamente ou dissociar do modelo.
O Radical Classe Média:
Geralmente, o radical classe média se apresenta como politizado, para, na verdade, repetir os velhos cacoetes do senso comum da política – é contra partidos;
Mais. Todo político é ladrão. Alias, para o Radical Classe Média, o problema do Brasil não é o da desigualdade, mas o da corrupção. Por isso, não perde a oportunidade de comparar a nossa suposta natural propensão para a malandragem com a sonhada condição positiva dos EUA, ou numa perspectiva intelectualizada, dos países escandinavos;
Nesse sentido, a eleição não passa de uma chantagem. Tanto faz quem vai ganhar – “é tudo igual mesmo”. O Radical Classe Média, quando não é capturado pelo moralismo e/ou suposta superioridade gerencial de um bonachão, prega o voto nulo;
O Radical Classe Média não gosta muito de se “misturar”. Quer exclusividade. No fundo, ele não suporta que ônibus coletivo passe nas praias “nobres” de sua cidade. Ou, em sua versão intelectual, defende a criação de “espaços” para os mais “humildes”;
Para o Radical Classe Média, as instituições devem aprender a se relacionar com ele, já que o dito cujo apresenta muitas especificidades;
Instituição a favor dele é democracia. Contra ele? Fascismo;
Seguranças-policiais-trabalhadores devem fazer cursos de capacitação só para aprenderem a se relacionar com ele;
Ele é anarquista para os deveres, mas não para os direitos;
Ele é contra impostos, mas quer que tudo funcione a seu favor;
Um bom Radical Classe Média critica o inchaço do Estado, mas sempre tem alguém da família, gozando de acesso privilegiado ao próprio Estado – um cargo, um contrato, etc;
O Radical Classe Média não tem diploma de graduação. Ele tem diploma de nobreza. E o “resto”? É resto, alienado. Ele se vê como o (único) “intelectual orgânico”…;
Ele é terminantemente contra o bolsa-família, a quem ele chama de bolsa-esmola, pois produz preguiçosos e premia quem nunca “quis” estudar;
Para o Radical Classe Média, quem não sabe escrever o português corretamente deveria ser impedido de votar, de expor sua opinião num blog ou jornal. Enfim, de argumentar;
Pensar é sinônimo de dominar a gramática. Do contrário, o dito cujo se encontra no nível dos animais irracionais;
Para ele, às vezes, o problema do Brasil é porque o pobre-analfabeto – ele chama de “não esclarecido” – não sabe votar. Uma cientista política advinda da USP teria um bom conceito radical de classe média para isso – ausência de “sofisticação política”;
Na versão intelectualizada, o Radical Classe Média é um crítico do jeitinho brasileiro, gosta de ler Nietzsche, Foucault, Deleuze, Guatarri. É um crítico do “micropoder”, dos “fascismos da norma”, conceitos mobilizados para negar qualquer coisa que lhe cobre alguma contrapartida social;
Há também aquelas versões do Radical Classe Média que tornam Karl Marx, ou o socialismo, numa questão de superioridade ético-moral;
O Radical Classe Média é um supercidadão. Os demais… subcidadãos;
Afinal, o Radical Classe Média estudou. Merece mais do que os simples mortais.
O Radical Classe Média se imagina como o que resta de bom no Brasil. Não raro, flerta com o fascismo.

Miltinho 85 anos - o grande intérprete do samba

Nasci em 1957, e das coisas que tenho lembrança da mais remota infância estão músicas como "I can't stop lovin' you", que era sucesso por volta de 1962 na voz de Ray Charles. Tocava muito no rádio, que era o principal meio de comunicação, daí ter essa memória profunda, pois sempre havia algum aparelho ligado em casa. Outra lembrança radiofônica, em especial aos domingos, era um programa que meu pai ouvia somente de chorinhos, onde Altamiro Carrilho era obrigatório. E ainda do gosto musical paterno herdei Miltinho, com sua voz meio nasal e sambas acompanhados por piano.

Miltinho também foi uma das primeiras imagens televisivas. Era de uma família privilegiada, que no final dos anos 50 tinha uma TV preto e branco Zenith, daquela cheia de válvulas, que meu pai ganhou num programa televisivo de auditório chamado "Bola ao Cesto". Tinha 3 chances de fazer uma cesta e, felizmente, acertou uma e levou o aparelho, que passou uns 20 anos entre nós. E nasci no Rio de Janeiro, onde já havia vários canais de TV nos tempos da minha mais profunda memória.

Não tinha videotape, era tudo ao vivo, e nos musicais do início dos anos 60 lá estavam Miltinho com sua banda. Da mesma época lembro-me de Léo Batista apresentando lutas de futebol num programa patrocinado pela Brahma, que tinha uma propaganda de um ringue em forma de bandeja onde garrafas de cerveja se enfrentavam.

Seu estilo era único, entre muitos sambistas que apreciei. Também era perfeito na interpretação romântica. Nem por isso fez o sucesso de outros da mesma época. Nunca vi uma apresentação dele ao vivo, até que um dia, por uma grande coincidência, nos anos 90, fui a um piano-bar na Lagoa para reencontro com colegas do ginásio e, do nada, apareceu Miltinho dando uma palhinha. Uma surpresa inesquecível.

Ainda nas coincidências, vendo a TV Brasil, aquela que todo mundo tem na televisão aberta e não vê, apareceu o anúncio do programa Musicograma festejando os seus 85 anos. O programa foi muito bom, e merece ser visto na internet. 

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

GOLPE : Correios > Temos uma encomenda pendente em seu nome

Esta tentativa de golpe beira o surreal. Primeiro pelo tópico, de uma correspondência que seria da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, como logomarca Correios, colocando o meu nome em mínúscula. Aí vem "Comunidado Dos Correios", tudo em  maiúsculas, o que está errado. O site correto dos Correios é www.correios.com.br, e não "correios.com".

Na mensagem, novamente o meu nome em minúsculas, dizendo que há uma restrição para receber uma encomenda, pedindo para preencher um formulário que manda para o link http://www.joaquimlemos.com/DadosDivergentesEntregaCorreios , que não tem nada a ver com os Correios. Aí o desavisado, na ânsia de receber uma encomenda misteriosa que não fez, preenche os dados e manda para o tal Joaquim Lemos, que nada tem a ver com os Correios, podendo ser um site dominado pelos golpistas através de hackeamento. No fim, a comprovação final da fraude com o nome "Correios do Brasil", com copyright e tudo para dar mais credibilidade.

Mais uma tentativa de golpista burro. Tem que ser preso e pegar uma pena adicional por ignorância.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Comunicado Dos Correios aviso@correios.com por  useast25.myserverhosts.com 

Olá fernando > Temos uma encomenda pendente em seu nome



25 de janeiro de 2013

Boa tarde fernando.
Temos uma encomenda em nosso depósito em seu nome, porém com uma restrição. Por favor preencha o formulário corretamente, para que possamos confirmar alguns dados, e assim entregar sua encomenda
Anexo: FormulárioCorreios.zip
Dpto. Econcomendas.
Agradecemos sua colaboração!
Correios Do Brasil - © Copyright 2013 Correios
Autenticação de usuário nº:213498.487094.

Mídia Bandida 007 - Dilma não fala sobre combustíveis. Ponto para ela.

Impressionante a continuidade da campanha contra a redução das tarifas elétricas mesmo com o fato consumado. No lixão encontrei hoje uma capa de "O Globo" já distorcendo tudo no que chama de "O dia seguinte" do anúncio, em rede de rádio e TV pela presidente Dilma, de um desconto maior que o prometido passando a valer antes do prazo prometido. Claro, como o apoio da jornalista Míriam Leitão, a quem foi encomendada uma matéria que fala de "redução de tarifas de energia e o marketing eleitoral".

É aquela coisa: desde setembro a direita vem minando a promessa de redução dos custos com energia, que é uma bandeira de todos os consumidores diante da tarifa mais cara do mundo mesmo tendo o modal a predominância da energia hidrelétrica, a mais barata. A redução da energia promete menores custos a produtos e serviços, maior competitividade e mais empregos, além de mais consumo com as merrecas a menos que cada um vai pagar ao oligopólio energético.

De eleitoreiro não tem nada, a não ser a visão de longo prazo do PIG - Partido da Imprensa Golpista - que já antevê o empresariado deixando de bancar as aventuras do PSDB e DEM para apoiar a reeleição de Dilma em 2014. Também será cobrada politicamente a tentativa de sabotar a redução de energia feita pelos governos tucanos de SP, MG e PR.

Hoje a mídia bandida repercute o corte que Dilma deu num repórter, que no meio de uma coletiva onde explicava a redução de energia lhe perguntou sobre o reajuste dos combustíveis. Ela simplesmente disse que não falaria sobre esse assunto, apenas sobre a redução da energia elétrica. Foi o suficiente para buscarem um clima de consternação, colocando Dilma como malvada e mal educada por não responder ao pobre coitado do repórter. Só falta ele cair em depressão e se matar, e botarem a culpa na presidente. Agora teremos o terror dos combustíveis antes do reajuste, boatando sobre os índices de reajuste, e o depois, boatando sobre a explosão da inflação.

Apenas para ver a falta de caráter da direita, relembramos neste link que as notícias e boatos após o discurso de Dilma no Dia da Independência do ano passado tentavam desmoralizar o governo dizendo que Dilma teria feito o povo de otário com uma promessa que não poderia cumprir.
http://blogdobranquinho.blogspot.com/2012/09/hoax-dilma-fez-povo-de-otario-no-sete.html

O fato é que Dilma está ficando mais esperta com a mídia bandida. Está no seu momento, faturando em cima de mais um "nunca na história deste país", que é a redução permanente de preços da energia. A mídia, derrotada no seu lobby contra a redução, agora quer mudar a pauta, enquanto sai do tema atirando. Quer tirar a atenção para o grande trunfo de Dilma para colocar em pauta a elevação do preço dos combustíveis, que virá certamente em fevereiro, já que aguardava a redução da energia elétrica para não ter impacto na inflação. Já há algum tempo estão tentando mudar o foco, mas Dilma desta vez atirou primeiro e não deixou. Te cuida, Dilma, porque esse povo é perigoso, sabotador. Abre o olho!

FANOAPÁ 022 - O delegado, as mulheres e a profissão

Marta Rocha, Chefe de Polícia do Rio
Com uma certa euforia a mídia comemora a exoneração do delegado da Polícia Civil do Rio, Pedro Paulo Pontes, e a nomeação para o seu lugar na delegacia do Catete (Rio) da delegada Monique Vidal, pela chefe de Polícia Marta Rocha. Poucas vezes se viu alguém escrever sobre discriminação de mulheres, mesmo na forma de desabafo por problemas de gestão de recursos humanos, já que o "normal" é a atitude "democrática" de dizer que todo mundo é competente, tem as mesmas chances, independentemente de gênero, etnia, opção sexual, etc.

O delegado não guardou para si seus problemas. Como regra para entrar no rol da Falta de Noção que Assola o País, colocou seus comentários sinceros porém politicamente errados nas redes sociais, onde todo mundo acha que só tem amigos até que um pegue o que está escrito e te detone. Disse que na sua equipe tem muitas mulheres, e que somente uma tem o perfil para a função, e é melhor até outros funcionários homens. Isso custou a sua cabeça.

Em meio à execração pública de mais um caso de machismo que essa falta de noção permitiu há uma afirmação divulgada pelo delegado que mereceria ser comentada pela imprensa, mas esse não é o foco do sensacionalismo. Ele disse que tem gente que faz concurso para certas profissões achando que vai trabalhar num escritório, burocraticamente. O sentido é bem diferente de uma outra falta de noção famosa, do técnico da seleção Luiz Scolari, que disse numa entrevista coletiva que quem quer moleza deveria ir trabalhar no Banco do Brasil.

Ao longo da vida presenciei na prática vários casos de inadequação ao perfil, no sentido do concurso, e nada tem a ver com gênero. Há pessoas com grande conteúdo de formação, capaz de passar em qualquer concurso, que não se preocupam muito com o "depois". Simplesmente se inscrevem, porque o salário é bom, acham que o trabalho será tranquilo porque olham para as pessoas bem sucedidas na carreira, passam e a maior dificuldade acaba sendo o teste físico, pois em geral são pessoas muito afeitas ao estudo e pouco à prática de exercícios. Depois que tomam posse é que vão ver que para chegar ao topo, onde estão os seus referenciais, a trilha profissional é dura e às vezes incompatível com  as suas habilidades e posturas. Restam as alternativas de continuar estudando e fazendo outros concursos ou ficar sofrendo numa profissão que não bate com os seus valores.

O pensamento do delegado está em todas as organizações tradicionais, e acaba sendo um gargalo para a ascensão das mulheres. Como é quase um senso comum entre os homens, as oportunidades de formação são "naturalmente" dedicadas aos homens, que ganharão vantagem na ascensão. Isso em qualquer parte do mundo. Ainda ontem o presidente americano Barack Obama aprovou que mulheres militares lutem em frente de combate e acessem cargos que antes só os homens conseguiam na carreira. A delegada Marta Rocha, que deve ter sido vítima desse tipo de política, fez bem em colocar uma mulher no cargo como exemplo para a sua equipe. Enquanto isso, no Brasil de Dilma e no Banco do Brasil, a "moleza" de Scolari, entre 53 cargos executivos não há uma única mulher. 

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Mídia Bandida 006 - Juros baixos espantam investidores?

O lobby dos bancos e dos especuladores patrocina desde o ano passado o discurso "juros baixos espantam investidores estrangeiros e causarão maior inflação". De fato, os investimentos diretos (não especulativos) caíram 2% em 2012, segundo o Relatório da Unctad (Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento) divulgado hoje, mas o Brasil continua sendo o maior captador de investimentos da América Latina, e essa queda foi a menor dos BRICs.

Dilma baixou os juros em 5,25% no período de um ano, e hoje temos um juro real inferior a 2%. Ainda é alto, diante dos praticados nos países de capitalismo mais avançado, mas extremamente atrativos até para especuladores. No entando, o resultado apurado pela UNCTAD mostra que o vigor do mercado interno brasileiro continua atraindo a instalação de empresas, aquisição de ativos, etc. E a mídia bandida vai se desmoralizando com essa campanha de "quanto pior, melhor para eles".


Enfim, Dilma vai à TV e detona os corvos da energia

Imagem : TV Brasil
Acabo de ver o pronunciamento da presidente Dilma Roussef em cadeia de rádio e TV, a pretexto de anunciar a redução das tarifas de energia. Aproveitou a oportunidade para esculachar quem se colocou contra a queda dos juros, contra os programas sociais e agora faz terror contra a redução do custo da energia. Disse que a matriz energética brasileira é uma das mais seguras do mundo, com termelétricas suprindo eventual falta de água nos reservatórias das hidrelétricas, e que não vai ter racionamento nem apagões.

Imagem : TV Brasil
 Enfim, Dilma respondeu, mesmo que muito educadamente, a toda a baixaria que a mídia vem fazendo contra ela e seu governo. E a todo o terror que eles espalham.


Dilma anunciou uma redução maior que a anteriormente divulgada, e antecipou a vigência da medida. Ainda estendeu o benefício mesmo aos estados com energia distribuída por empresas controladas por governos tucanos, que estão boicotando a redução para manter os altos lucros das empresas. Caso de São Paulo (CESP), Minas (CEMIG) e Paraná (COPEL).

Daqui a pouco nos jornais da noite certamente não se falará do discurso de Dilma, mas deverão aparecer as vozes de sempre agourando a queda das tarifas. Dilma deveria fazer mais uso de horários nas TVs e rádios, a exemplo de outros presidentes latino-americanos que são sistematicamente combatidos por cartéis de comunicação. E tocar adiante o projeto de redução de tamanho dos oligopólios, verdadeiro poder paralelo. 

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Obama : Mais 4 anos do mesmo?

O eleitor americano continua votando em Obama porque tem esperança de alguma mudança com ele no poder. Com os republicanos parece começar a ficar claro que tudo que o americano pode esperar é mais prosperidade para poucos, mas isso ainda não se reflete no Congresso, onde os conservadores mandam na Câmara dos Deputados.

As coisas andam muito devagar na sociedade americana. Dois grandes partidos se revezam no poder, praticamente sem grandes diferenças programáticas. As nuances não questionam o modelo de capitalismo. Acontecem na forma de ênfases políticas, ou seja, em mais respeito a algumas minorias, em ter ou não programas sociais, em assumir protagonismos em guerras imperialistas, etc.

O governo americano é uma camisa-de-força. Não importa o presidente, as restrições não dão margem a grandes manobras. Obama tem sido refém dos republicanos no orçamento, e de tempos em tempos a economia vai á beira do abismo fiscal, porque os mais ricos não abrem mão de pagar menos impostos e de não bancarem os programas sociais da grande maioria. Na questão das armas, Obama não tem apoio sequer dos democratas para tentar impor restrições ao comércio e manuseio para acabar com as chacinas cada vez mais frequentes.

No mais, Obama já demonstrou que não tem pudor em sustentar bancos e grandes empresas com dinheiro público. Nem em mandar assassinar aqueles que os americanos entendem ser seus inimigos, a exemplo dos drones que aterrorizam populações de vários países, e da exposição da morte de Bin Laden como trunfo eleitoral. No Oriente Médio prevalece a submissão às atrocidades do governo de Israel e o apoio às ditaduras árabes produtoras de petróleo. Mantém o embargo a Cuba e o execrável campo de concentração em Guantânamo, onde a tortura campeia.

Agora pretende fazer dos seus comitês de campanha instrumentos de mobilização social para pressionar o Congresso. Isso, para alguns, é coisa de comunista, aliás, a extrema-direita do Tea Party o considera um bolchevique. Como o povão quer mesmo é a tal prosperidade individual, incutida pelo sistema, pouco adiantará Obama buscar direitos sociais se a economia não crescer e fizer a classe média voltar a  se sentir capaz de progredir materialmente. Mais 4 anos do mesmo significará a volta da direita em 2017. 

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Mídia Bandida 005 - Globo amplifica a farsa "Algemas de Ouro"

Depois de várias tentativas fracassadas de criar um movimento de massas capaz de derrubar Lula (vide o "Cansei") e agora deixar Dilma sem ação, mais uma vez as organizações Globo prestam um desserviço à informação, ao divulgar (e amplificar ) uma farsa chamada "Prêmio Algemas de Ouro", montada por um tal "Movimento 31 de Julho". Logo a tal notícia, validada pelo oligopólio de mídia, estará sendo replicada aos  milhões nas redes sociais e sites de direita. Confira a chamativa matéria "Ex-presidente Lula eleito personalidade mais corrupta de 2012"

Uma simples olhada no conteúdo do site do "Movimento" é suficiente para entender que de movimento apartidário, como se dizem, não tem nada. Parece uma sucursal do site do DEM ou do PSDB, com todas as notícias orientadas a bater em Lula, Dilma e no PT. O tal "Movimento" tem esse nome porque em 31 de julho do ano passado uma meia dúzia de gatos pingados fez uma manifestação contra Lula, PT e Dilma a pretexto de combater a corrupção.

Uma rápida olhada na tabela de votos obtidos pelo Facebook dá para ver a falta de transparência do processo. A segunda coluna mostra que, no Facebook, Lula seria o segundo colocado, com Demóstenes do DEM à frente. Aí a terceira coluna "depura" o resultado e transforma os mais de dez mil votos do primeiro colocado em 499 como "votos visíveis". Depois vem com os "prefis""(sic) considerados falsos por eles mesmos, que depois sofrem um rebate de 20%. Invalidam 68,8% dos votos para Demóstenes, sobrando no "resultado corrigido" apenas 3.175 votos.

Por outro lado, quando o "candidato" é Lula, não há nenhum perfil considerado falso, e todos os votos são aceitos como válidos!. Todos os 9.557! Para botar Sérgio Cabral no pódio, seus 664 votos totais foram abatidos em apenas 2 de "perfis falsos", para ficar em 30 lugar, quando na votação total estava em 5o. Já José Roberto Arruda (DEM)  e Eduardo Azeredo (PSDB, pai do Mensalão) também tiveram seus totais substancialmente reduzidos por "votos de perfis falsos".

A armação ridícula conta com o ingrediente das "centenas de votos vindos do exterior de perfis falsos,votando em candidatos do DEM e PSDB", como eles mesmo noticiam. Todo esse lixo, que parece não ter passado em nenhum crivo mais sério pela Globo, vai para a rua como coisa verdadeira. E assim, pouco a pouco, vai-se a credibilidade do império global. Por fim, no site não há uma foto da entrega do tal prêmio ocorrida ontem no Leblon, bairro de maior PIB do Rio. Pelo visto, quando fizerem o prêmio "171 de ouro", já tem gente arrancando na frente.


Mídia Bandida 004 - PIG desdenha redução de impostos de Dilma

Lenta e gradualmente, mas fazendo muitos estragos na base de apoio demo-tucana, a presidente Dilma Roussef vem cumprindo a agenda da burguesia industrial brasileira: reduziu drasticamente os juros, aumentou o apoio do BNDES à produção, baixou IPI setorialmente, está reduzindo as contas de energia em até 28% para o setor produtivo, elevou o patamar do câmbio para favorecer exportações e agora anunciou a redução dos encargos sociais nas folhas de pagamento para todos os setores, além dos que já havia reduzido. São medidas que tendem a impulsionar a economia, seguindo o planejamento rumo ao crescimento sustentável.

Em 2012 a redução de encargos, substituindo os 20% de recolhimento de INSS sobre a folha para 1 a 2% sobre o faturamento, teve como resultado o aumento da formalização de mão-de-obra e a abertura de novos empregos. Agora a medida deve se estender a todos os setores.

A desoneração da folha é uma proposta antiga e polêmica, defendida pela Confederação Nacional da Indústria. Segundo o DIEESE, em Nota Técnica de 2011, a desoneração precisa ser transparente para não prejudicar os trabalhadores, pois seus técnicos entendem que grande parte do que consta como encargos é, na verdade, benefício indireto ao trabalhador. Assim sendo, dos 102% que os empresários chamam de encargos, o DIEESE reconhece apenas 25%.

A tudo isso o conglomerado Globo noticia mas desdenha como "medidas para evitar o novo fracasso de um "pibinho" como o de 2012". Não tem mais o que dizer. Na questão da redução da energia, o lobby do cartel elétrico perdeu, mesmo com o amplo apoio da Globo. Nos juros, mesmo anunciando o apocalipse se baixassem, perdeu de novo. Só resta ficarem requentando o Mensalão, jogar lama em Lula, e cutucar Dilma toda vez que ela toma as bandeiras que pretendiam ser da direita liberal. Para eles, tudo não passa de "turbinamento do PIB". Eis o preâmbulo negativo da notícia positiva:

"Após o pífio resultado do PIB no ano passado, o governo decidiu estender a todos os setores, ainda este ano, a desoneração da folha de pagamento das empresas. A medida abrangerá indústria, comércio e serviços. Hoje só 42 segmentos são contemplados. Segundo interlocutores de Dilma, ela considera que as companhias que já receberam esse incentivo têm bons resultados, e que está na hora de usar todas as armas para evitar que o PIB de 2013 repita o de 2012. A desoneração prevê substituir a cobrança de 20% sobre a folha por alíquota de 1% a 2% sobre o faturamento."
"

domingo, 20 de janeiro de 2013

Flamengo : Ano de superação de dificuldades

A diretoria recém-empossada tem muito pouco tempo para fazer as mudanças estruturais que se comprometeu em campanha, e colocar o Flamengo de volta no topo das disputas do futebol. Não tem sentido o clube com a maior torcida do mundo não ter uma equipe de futebol à altura. E não ter organização e dinheiro para ter do bom e do melhor.

As primeiras ações de saneamento financeiro acabaram com áreas deficientes financeiramente, mesmo ao custo de dispensar a vitoriosa equipe de natação. No futebol boa parte do plantel está em liquidação e nomes como Vagner Love e Ibson não estarão disponíveis em 2013. As contratações focam em jogadores de zaga e meio-campo, onde o destaque é Elias, sem anunciar nenhum nome de peso para o ataque.

O contrato de patrocínio com a Adidas foi o mais caro já feito pela empresa no mundo. À altura do uso do Manto Sagrado, que nos últimos anos portou patrocinadores nacionais. A multinacional alemã deverá investir R$ 410 milhões no patrocínio, nivelando o Flamengo em valores ao Real Madrid, Bayern de Munique, Chelsea e Milan. É o primeiro passo para a internacionalização da marca Flamengo,que deverá atrair mais patrocínios e investimentos.

Agora é jogar com os talentos criados em casa e promover atletas do plantel que não tiveram chances, como o centroavante Hernane, autor dos dois gols de ontem no jogo contra o desconhecido Quissamã, que pela primeira vez joga na Série A do campeonato fluminense. Lamentável foi a atitude da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, de colocar os ingressos a R$ 40 para jogos comuns e R$ 60 para os clássicos, causando a revolta das torcidas organizadas, que combinaram ir até o estádio do Engenhão mas não entrar.

Além disso a Federação parece não querer a presença da torcida, pois marcou jogos para horários de difícil participação e em estádios precários. Chega a ser natural, pois os demais times cariocas, que participam da Federação, sabem o quanto é chato passar por um adesivo como o da foto sem ter  taquicardia. Quando mais prejudicarem o Flamengo, acham eles, maior a possibilidade de acabar com a gozação.

Nem o Fluminense, que está com a melhor equipe do Rio, escapa disso. E de dever um campeonato da série B, por causa da tapetada que o levou da 3a divisão para a 1a. O que se dirá do Vasco, que está tão atolado em dívidas que teve o fornecimento de água reduzido, precisando usar o parque aquático como caixa-dágua para molhar o gramado, que está em péssimo estado.

 Já era um absurdo pagar R$ 40 no ano passado. Resultado: por bem menos, come-se e bebe-se bem nos bares e restaurantes que exibem o jogo pela TV. O boicote tem que continuar até que se baixe o preço do ingresso. Se agora está assim, imaginem quando o Maracanã estiver pronto, novinho em folha.


sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Mídia Bandida 003 - O terror elétrico continua

O GLOBO 16/01 - Nota pequena sobre redução do custo de energia
As fotos mostram como uma mídia partidária ultrapassa o limite entre jornalismo e propaganda e acaba perdendo credibilidade. Há 3 dias a Presidente Dilma Roussef assinou a lei que desonera as contas de energia em 16% para os consumidores residenciais e em 28% para as indústrias. Uma medida corajosa, histórica, porque mexeu com um poderoso esquema que faz da energia elétrica no Brasil uma das mais caras do mundo, mesmo sendo 80% produzida por hidrelétricas, que em todo lugar é mais barata que térmica, elétrica, eólica, solar, etc. Com a medida a população se desonera, e a indústria se torna mais competitiva.

17/01/13 - A anti-notícia da redução do preço em destaque
Como O Globo anuncia tal fato? Num pequeno texto no canto da sua edição de 16/01/01. No dia seguinte, estampa como manchete, em grandes letras e local principal da capa "Risco de racionamento - térmicas podem anular desconto de energia". É o terceiro tempo na campanha de lobby contra a redução de preços, na qual a empresa dos Marinho tem como aliados os governos tucanos  de SP, MG e PR, que, respectivamente, se recusaram a dar descontos através da CESP, CEMIG e COPEL para sabotar o plano de redução, e deverão perder concessões quando não forem renovadas nos próximos anos.

17/01/13 - Página inteira reafirma o terror
Mais ainda: no caderno de economia dedica metade da página inicial para reafirmar sua previsão catastrófica baseada em "especialistas consultados pelo jornal" e estampar: "Risco de racionamento - conta mais salgada - uso de térmicas pode encarecer conta de luz em 15% e anular desconto prometido por Dilma". O título já diz tudo: Dilma prometeu mas não tem como entregar, logo, é mentirosa, populista, incompetente, demagoga, etc.

O GLOBO também omitiu, por parcialidade, que se houver aumento nos custos por conta de uso de térmicas ele não será repassado aos consumidores, sendo coberto pelo Tesouro Nacional. Ou seja, os impostos pagarão por isso, o que quer dizer que, na prática, as pessoas e empresas terão uma devolução dos impostos que pagam. Isso é redução, na prática, de carga tributária, coisa inédita na história, positiva para todos, defendida pela direita neoliberal  a quem a mídia está atrelada, mas para atacar Dilma escondem isso e, se acontecer, a chamarão de perdulária.


E pensar que esse jornal escrito com tinta de esgoto é lido por pessoas influentes, que são capazes de deixar seus planos de investimento para comprar geradores acreditando nas urucubacas da oposição de direita. Vamos guardar o jornal para mostrar daqui a um ano o que realmente aconteceu. 

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

FANOAPÁ 021 - Demolição do Museu do Índio, no RIo


A Falta de Noção que Assola o País (FANOAPÁ) tem um caso grave no Rio de Janeiro. Um governo de mentalidade tacanha chega a ser mais revoltante que a sua própria corrupção. Em qualquer lugar do mundo dito civilizado onde se pretenda atrair turistas estrangeiros o Museu do Índio seria revitalizado, reativado e valorizado como bem cultural. No Rio, se depender do governador e do prefeito, duas pessoas culturalmente limitadas, passa-se o trator para fazer estacionamento, calçadão árido, etc. E pensar que o Rio de Janeiro já foi um dos expoentes da cultura nacional.

No exterior as pessoas pagam um bom dinheiro para ver esse tipo de acervo, que é original. Quando era criança fui algumas vezes lá e ficava impressionado com as coisas que via por lá. Imaginem os gringos, que têm do Brasil a imagem de um país tropical com selva exuberante e índios? Pagariam qualquer coisa para ver esse acervo, em especial ao lado do Maracanâ, da Quinta da Boa Vista, do Museu Nacional, que estão no entorno e são acessíveis a pé.

O movimento contra a demolição do Museu do Índio não é daquelas coisas que nos acostumamos a ver de uma porção de espertos usando os indígenas como instrumento para outros interesses. A história da colonização européia do Rio de Janeiro está muito ligada à dos povos que habitavam há milênios as terras da cidade, e foram sendo aculturados, expulsos, exterminados ao logo dos tempos. Índios lutaram ao lado de portugueses contra a tentativa de ocupação por franceses e holandeses. Nos hábitos, comida, língua, a cultura indígena deixou um legado que não pode ser apagado por um bando de gente sem cultura, mas interessado nos arrendamentos, nos porcentos, etc. 

Não se poderia esperar muito de Sérgio Cabral, um político cuja falta de noção o fez achar-se inocente andando para cima e para baixo curtindo os favores da amizade com Fernando Cavendish, da Delta, empreiteira com muitas obras no estado. O Ministério Público Federal entrou com recurso contra a demolição para tentar sustar a obra. Os índios que ocupam o prédio querem audiência com Cabral, o governador, parente longínquo do descobridor que começou com toda essa história de destruir a cultura indígena. 

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Mídia Bandida 002 - Terror agora é o aumento dos combustíveis

Nem acabou ainda o terror contra a redução de preços da energia, mesmo com a assinatura da lei pela Presidente Dilma, a mídia bandida já começou a aterrorizar com o aumento que poderá haver nos combustíveis. De inflação descontrolada  a aumento insuficiente para a Petrobrás fazer caixa, vale tudo. Basta ligar a Globo e ver os seus "analistas" falando sobre isso. O importante, mesmo quando a ameaça passa e não dá em nada, é manter o governo sempre pautado pelo terror, tendo a todo momento que desmentir, etc. Cadê a Lei dos Meios para acabar com esse poder paralelo?

UPP virou segurança do tráfico?

Hoje no Rio foram presas 24 pessoas envolvidas com uma rede de tráfico de drogas nos morros da Cruz e Chácara do Céu, que fazem parte da UPP do Borel. Um dos presos é um policial da UPP. O tráfico continuou, mesmo com a presença ostensiva da polícia. Os traficantes também estavam extorquindo mototaxistas, vans e comerciantes. Então, o que está mudando com as UPPs, que hoje dão a sensação de segurança tanto a quem mora nas comunidades como nas áreas vizinhas?

Os números mostram a queda da criminalidade com o desaparecimento do poder paralelo e das armas. A qualidade de vida melhorou com o acesso dos serviços públicos e iniciativas de cidadania. Mas parece que o tráfico não foi sufocado. Pior: saiu ganhando com as UPPs, porque teve corte substancial de custos com a defesa dos seus pontos.

Em 2009 a Secretaria de Fazenda do Rio de Janeiro fez um estudo que tentou mostrar como funciona economicamente o negócio do tráfico chamado "A economia do tráfico na cidade do Rio de Janeiro : uma tentativa de calcular o valor do negócio".  Na época fiz um post analisando esse trabalho, que mostra que a rentabilidade seria muito baixa perto dos ganhos no mercado financeiro, por exemplo.

Um dos grandes custos que impactava na rentabilidade do tráfico era a segurança. Com a ameaça da concorrência de outras facções havia a necessidade de manter caros exércitos, com armamentos, munição, veículos e queima da mercadoria, afinal, todo esse contingente também era viciado. Os confrontos com a polícia onde havia apreensões de armas e drogas também causavam prejuízos. Fora os olheiros, fogueteiros, etc.

Isso tudo acabou com o advento das UPPs, porque as facções inimigas dos traficantes que já estão nas áreas pacificadas não entrarão mais. De alguma forma, sem uma ação para eliminar de vez o tráfico mesmo dissimulado em áreas ocupadas, nossos impostos estarão contribuindo para alimentar lucros das drogas, afinal, agora quem paga a segurança somos nós. 

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Viva melhor sem a Globo : TV Brasil

E sem esse cartel de mídia que empurra pela goela violência, armações, manipulações, etc. O brasileiro chega do trabalho cansado prá burro, geralmente na hora dos noticiários da TV, que se estendem pela hora do jantar. E tome ver o bloco de violência (geralmente 10 minutos iniciais do noticiário), outros 10 min de discurso oposicionista de direita, mais outro tempo dedicado a besteirol e esporte, engata em Salve Jorge e acaba mal o seu dia, desinformado, cheio de lixo televisivo.

Por que não jantar em paz, com a família, com a TV desligada, e às 21h experimentar ver o Repórter Brasil, na TV Brasil? Noticiário de bom jornalismo, padrão europeu, sem sensacionalismos nem politicagem, com amplos espaços para arte, cultura, ciência e cidadania. Tenho feito isso e não sinto falta em nada da mídia lobista e golpista. O jornal, apesar de ser de uma empresa pública, não cai na tentação de ser puxa-saco do governo. Depois é só desligar antes que o BBB entre na sua casa e acabe com a inteligência da sua família.

http://www.reporterbrasil.org.br/

PS: Pela manhã  o Repórter Brasil passa às 8h. 

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Direita faz ato de 20 pessoas contra Lula

Não é só a falta de votos que está levando a direita brasileira à extinção. Falta gente para protestar também. Inflados pela mídia que criminaliza o PT e Lula, 20 gatos pingados organizaram um ato em frente ao MASP, na Av. Paulista. Com cartazes "Lula ladrão" e "PT nunca mais" acabaram se limitando a ficar numa faixa de pedestres mostrando suas mensagens.

Mereciam um ato de apoio a Lula com milhares de pessoas. Na Venezuela, a direita queria fazer um protesto contra a posse de Chavez, e teve como troco uma manifestação de um milhão de pessoas. Os caras são ridículos. Não fosse a mídia golpista, não enchiam um fusca.
http://www.blogdacidadania.com.br/2013/01/o-fiasco-do-ato-contra-lula-em-sp-e-a-ojeriza-do-brasileiro-a-politica/

domingo, 13 de janeiro de 2013

O patrimônio de Lula




O patrimônio de Lula

Por Esquemas Táticos
Um blog do Financial Times publicou um artigo interessante sobre os dados de Lula vazados pelo hacker @nbdu1nder. A conclusão do artigo: pra quem esperava palacetes ou imóveis em condomínios de elite quebrou a cara. O que se revelou sobre o patrimônio de Lula mostra que o ex-presidente não é rico. Pelo contrário! Para o FT, os imóveis de Lula são classificados como "mal pintados" e "localizados em subúrbios perigosos". O FT conclui que o hacker, a despeito de incriminar o ex-presidente — considerado "ladrão" pela direita brasileira —, acabou por revelar que ele não tem nada de mais para quem tem mais de 30 anos de vida pública. Interessante que ninguém se preocupou com os imóveis subvalorizados do senador Aécio Neves (PSDB). Mesmo com um apartamento no Leblon e outro em Ipanema (entre outros imóveis em BH e Nova Lima, além da Rádio Arco-Íris), Aécio tem um patrimônio de pouco mais de 600 mil reais declarados em sua última prestação de contas eleitoral. Isso é que é ser bom comprador!

Jan 11, 2013 6:29pm by Joe Leahy
Brazil’s former president Luiz Inácio Lula da Silva is facing plenty of pressure these days over allegations he was directly involved in the country’s biggest corruption case, the Mensalão.
Now comes an expose of what are supposedly his properties.
Readers will recall that the one-time leaders of Lula’s Workers’ Party in 2003 and 2004 have been convicted of stealing funds from state-owned enterprises and using them to bribe opposition lawmakers to support the former president’s government in Congress.
Lula himself has always denied any knowledge of the scheme. But now there are growing calls for an investigation into allegations that some of the money from the Mensalão was directed to the former leader himself for his personal use. Again, he has denied the accusations, which came from a businessmen convicted in the case.
So readers will be fascinated to learn then that a hacker has published details of what are purported to be Lula’s assets – in the form of a list of addresses of properties supposedly owned by the politician. This from the Associated Press:
A hacker has posted what appears to be private information of former president Luiz Inacio Lula da Silva on the Internet to protest a major corruption scandal which he says “will end in nothing.”
The addresses of properties said to be owned by Silva, phone numbers, companies registered in his name and his taxpayer number were posted on Twitter. The hacker identified himself as nbdu1nder.
The trial surrounding a cash-for-votes corruption scheme saw 25 people convicted, including former top aides to Silva.
Silva’s office would not confirm the authenticity of the information posted on Twitter and said it had no comment.
But those expecting palatial residences in São Paulo’s elite neighbourhoods, beachfront condos in Copacabana or sprawling fazendas in the Brazilian Amazon will be disappointed. The properties revealed by the site, while not exactly a pauper’s empire, are definitely not those of your typical bling-covered sleazebag politician with a trophy wife on his arm.
The most respectable is Condominio Residencial Hill House, a normal-looking apartment building in São Bernardo do Campo, the suburb of São Paulo where the former president began his career as a trade unionist. He has one, possibly two apartments here, according to the hacker.
From here it goes rapidly downhill, apparently. Lula has another property in the same suburb, a shabby looking joint in a not very salubrious neighbourhood that is up for sale with graffiti covering the front fence.
Then there is a humble house in a town deep in the interior of the state of São Paulo that looks like it too badly needs a coat of paint.
Finally, there is the pièce de résistance, a house in an area of the northeastern city of Natal called Felipe Camarão, which roughly translates as Philip Shrimp. Judging by pictures taken from Google Maps photos, this is not a place you would want to wander at night, especially when a YouTube search throws up videos about homicides and other social problems.
Overall, the allegedly ill-begotten assets look like nothing more than those that someone with a normal salary and an inheritance or two thrown in might end up with after a lifetime of work. Think of the estate of your spendthrift old uncle Bob rather than Silvio Berlusconi. Either way, the hacker – who proudly declares “Live the Revolution” – has in fact done defenders of Lula’s cause more good than harm.
After all, if this humble collection was the best a corrupt politician in Brazil could muster, then surely most would stick with their day jobs.

sábado, 12 de janeiro de 2013

Morre Padre Haroldo, o lutador imprescindível

OS QUE LUTAM

Há aqueles que lutam um dia; e por isso são muito bons; 
Há aqueles que lutam muitos dias; e por isso são muito bons; 
Há aqueles que lutam anos; e são melhores ainda; 
Porém há aqueles que lutam toda a vida; esses são os imprescindíveis. (Bertold Brecht)



Cartaz da campanha ao governo do Ceará - 1986
Aos 77 anos, faleceu ontem em Brasília, vítima de uma pneumonia, o Padre Haroldo Coelho. Cearense de Fortaleza, Padre Haroldo foi um incansável guerreiro na luta pela transformação social, trabalhando na conscientização do povo mais pobre e explorado e na sua organização. Mais que um sacerdote, era um militante na linha da Teologia da Libertação até antes dela existir. 
27/-1/11 - Fortaleza - Praça do Ferreira - Ato por Cesare Battisti - Padre Haroldo (esq)
Conheci Padre Haroldo em 1986, quando foi candidato ao governo do Ceará pelo PT. Seu slogan "Bote Fé" e sua disposição revolucionária enfrentaram uma eleição dificílima, polarizada pelos candidatos Tasso Jereissati, então no PMDB, e Adauto Bezerra, do PDS, que tinham campanhas milionárias. Uma campanha memorável, de tostão contra milhão, na afirmação do PT como alternativa para o estado um ano depois da surpreendente eleição de Maria Luíza Fontenele (PT) à prefeitura de Fortaleza. 

Onde houvesse luta social o Padre Haroldo estava presente, apanhando da polícia, tentando mediar a favor dos mais fracos. Nos últimos anos filiou-se ao PSOL. A última vez que o vi foi na Praça do Ferreira, em janeiro de 2011, num ato em defesa da libertação de Cesare Batistti. Haroldo deixará muitas saudades e, principalmente um exemplo para aqueles que tiveram a felicidade de compartilhar a sua existência. Obrigado por tudo, Padre Haroldo. 



sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Rio - Escadaria Selaron, na Lapa


O pintor e ceramista chileno Jorge Selaron, que morava junto à escada e ficou notório por ter aplicado sua arte na via que liga a Lapa a Santa Teresa, foi encontrado morto em circunstâncias ainda misteriosas junto á sua obra. Tinha 65 anos.  Nunca vi nada parecido com essa obra de arte. 

Tirei essas fotos no carnaval de 2012. Nesse dia acompanhamos o Bola Preta na Av. Rio Branco, seguimos a pé pela Lapa, subimos a escadaria, vimos uns blocos em Santa Teresa, descemos para o lado da Glória por outra escadaria e fomos para os blocos na praça do Russel. Recomendo esse roteiro, principalmente no carnaval. 







Para chegar lá é só andar pelo lado direito dos Arcos da Lapa no pé do morro de Santa Teresa, subindo uma rua cheia de bares da boemia que dá no pé da escada. Ela liga dois pontos turísticos importantes do Rio, tendo a Lapa na base e Santa Teresa, como seus ateliês, museus e bares charmosos, na parte alta. Agora que não há mais o bondinho que andava pelos arcos, a escada é uma boa opção. Uma atração em si. 







Venezuela : O inferno da direita brasileira

https://www.facebook.com/socialismodadepressao
Ontem uma imensa manifestação popular e a presença de alguns presidentes de países sul-americanos marcou a posse do vice-presidente Maduro em Caracas, na continuação da convalescença do presidente Hugo Chávez, internado em Cuba. A direita venezuelana, que havia marcado um protesto para a mesma data pedindo novas eleições, estava murcha porque a suprema corte considerou constitucional que o vice assumisse, podendo Chávez tomar posse sem data determinada.

No Brasil ontem foi o chororô da mídia, sempre tomando as dores da direita venezuelana e colocando Chávez como ditador. Chamaram a suprema corte venezuelana de "chavista" pela sua decisão, com amnésia dos fatos recentes ocorridos no STF, onde pessoas foram julgadas sem provas e as penas foram ampliadas para gerar prisões e, principalmente, grande estrago ao governo e partidos de esquerda. Isso permitiria a outros dizerem "STF demo-tucano".

S.J. D'el Rey (MG) - Túmulo de Tancredo Neves
Quando se falou da legalidade da posse de maduro, o Partido da Imprensa Golpista (PIG) também não se lembrou do que ocorreu com Tancredo Neves em 1986. Doente no hospital, Tancredo não assumiu, mas Sarney, que era o vice, tomou posse. Dias depois Tancredo faleceu e Sarney ficou, sem que se falasse mais em nova eleição, mesmo com grande agitação pelas diretas dos anos anteriores. Disso só resultou o lançamento de Aécio Neves como carpideiro do avô e herdeiro político. Já na Venezuela, a "nossa" direita enxerga na posse do vice um golpe, e apoia uma nova eleição. Há um artigo muito bom do jornalista Jânio de Freitas na Folha sobre esse "esquecimento".

A miopia dessa gente retrógrada não permite que se enxergue além da própria realidade que inventam. Venezuela não é Brasil. Chávez não é Lula. A própria direita de lá contribuiu para isso, boicotando uma eleição parlamentar, permitindo que Chávez tivesse o controle quase total do Congresso. A direita, como sempre, acreditou no golpe, que até tentou, mas se deu mal. Assim Chávez reformou as estruturas do estado e consagrou direitos mais avançados. Também não vacilou com as forças armadas, que hoje possivelmente não apoiariam uma aventura golpista sem uma grande divisão. E organizou o povo, o que Lula e o PT, na ânsia de concentrar poder, não fizeram por aqui.

O próximo "round" está marcado para a eventual morte de Chávez. A direita vê nisso nova oportunidade, mas esquece que um velório de Chávez seria uma manifestação popular gigantesca, e que seus herdeiros políticos venceriam qualquer eleição seguinte, dada a comoção popular. Não tenho simpatias por Chávez, mas o papel que exerce hoje como contraponto ao imperialismo e à direita na América Latina supera em muito o de Cuba nas décadas anteriores. 

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Blog do Emir : O suicídio da imprensa brasileira

Mais um bom artigo de Emir Sader. Um pequeno extrato diz tudo:


"...A velha mídia brasileira passou a trilhar o caminho do seu suicídio. Decidiu não apenas não entender as transformações que o Brasil passou a viver, como se opor a elas de maneira frontal, movida por um instinto de classe que a identificou com o de mais retrogrado o pais tem: racismo, discriminação, calunia, elitismo...."

 Reproduzido da Carta Maior. Vale a pena ler. E passar adiante. 


09/01/2013

O suicídio da imprensa brasileira
 
A imprensa brasileira está sob risco de desaparição e, de imediato, da sua redução à intranscendência, como caminho para sua desaparição.

Mas, ao contrário do que ela costuma afirmar, os riscos não vem de fora – de governos “autoritários” e/ou da concorrência da internet. Este segundo aspecto concorre para sua decadência, mas a razão fundamental é o desprestígio da imprensa, pelos caminhos que ela foi tomando nas ultimas décadas.

No caso do Brasil, depois de ter pregado o golpe militar e apoiado a ditadura, a imprensa desembocou na campanha por Collor e no apoio a seu governo, até que foi levada a aderir ao movimento popular de sua derrubada.

O partido da imprensa – como ela mesma se definiu na boca de uma executiva da FSP – encontrou em FHC o dirigente politico que casava com os valores da mídia: supostamente preparado pela sua formação – reforçando a ideia de que o governo deve ser exercido pela elite -, assumiu no Brasil o programa neoliberal que já se propagava na América Latina e no mundo.

Venderam esse pacote importado, da centralidade do mercado, como a “modernização”, contra o supostamente superado papel do Estado. Era a chegada por aqui do “modo de vida norteamericano”, que nos chegaria sob os efeitos do “choque de capitalismo”, que o país necessitaria.

O governo FHC, que viria para instaurar uma nova era no país, fracassou e foi derrotado, sem pena, nem glória, abrindo caminho para o que a velha imprensa mais temia: um governo popular, dirigido por um ex-líder sindical, em nome da esquerda.

A partir desse momento se produziu o desencontro mais profundo entre a velha imprensa e o país real. Tiveram esperança no fracasso do Lula, via suposta incapacidade para governar, se lançaram a um ataque frontal em 2005, quando viram que o governo se afirmava, e finalmente tiveram que se render ao sucesso de Lula, sua reeleição, a eleição de Dilma e, resignadamente, aceitar a reeleição desta.

Ao invés de tentar entender as razoes desse novo fenômeno, que mudou a face social do pais, o rejeitou, primeiro como se fosse falso, depois como se se assentasse na ação indevida e corruptora do Estado. A velha mídia se associou diretamente com o bloco tucano-demista até que, se dando conta, angustiada, da fragilidade desse bloco, assumiu diretamente o papel de partido opositor, de que aqueles partidos passaram a ser agregados.

A velha mídia brasileira passou a trilhar o caminho do seu suicídio. Decidiu não apenas não entender as transformações que o Brasil passou a viver, como se opor a elas de maneira frontal, movida por um instinto de classe que a identificou com o de mais retrogrado o pais tem: racismo, discriminação, calunia, elitismo.

Não há mais nenhuma diferença entre as posições da mídia – a mesma nos principais órgãos – e os partidos opositores. A mídia fez campanha aberta para os candidatos à presidência do bloco tucano-demista e faz oposição cerrada, cotidiana, sistemática, aos governos do Lula e da Dilma.

Tem sido a condutora das campanhas de denúncia de supostos casos de corrupção, tem como pauta diária a suposta ineficiência do Estado – como os dois eixos da campanha partidária da mídia.

Certamente a internet é um fator que acelera a crise terminal da velha mídia. Sua lentidão, o fato de que os jovens não leem mais a imprensa escrita, favorece essa decadência.

Mas a razão principal é o suicídio politico da velha mídia, tornando-se a liderança opositora no pais, editorializando suas publicações do começo ao final, sendo totalmente antidemocráticas na falta de pluralismo sequer nas paginas de opinião, assumindo um tom golpista histórico na direita brasileira.

Caminha assim inexoravelmente para sua intranscendência definitiva. Faz campanha, em coro, contra o governo da Dilma e contra o Lula, mas estes tem apoio próximo aos 80%, enquanto irrisórias cifras expressam os setores que assimilam as posições da mídia.

Uma pena, porque a imprensa chegou a ter, em certos momentos, papel democrático, com certo grau de pluralidade na história do pais. Agora, reduzida a um simulacro de “imprensa livre”, ancorada no monopólio de algumas famílias decadentes, caminha para seu final como imprensa, sob o impacto da falta de credibilidade total. Uma morte anunciada e merecida.

Postado por Emir Sader às 06:57